NOTÍCIAS

Assassino de John Lennon pede liberdade condicional pela décima vez

Todas as tentativas anteriores foram negadas; Mark David Chapman foi descrito como “egoísta e malvado” no último pedido

por Redação em 16/08/2018

Mark David Chapman, conhecido como o homem que assassinou John Lennon, entrou com pedido de liberdade condicional mais uma vez.

Chapman terá o pedido julgado em Nova York, Estados Unidos, na próxima semana. Essa é a sua décima tentativa de conseguir a condicional.

Atualmente, Chapman tem 63 anos. Ele está cumprindo pena perpétua em uma prisão de segurança máxima em Nova York. Ele atirou e matou o ex-Beatle do lado de fora do apartamento do artista em 8 de dezembro de 1980.

O último pedido de liberdade condicional feito por Chapman foi negado há dois anos. Na decisão, ele foi descrito como “egoísta e malvado”. Assim, foi determinado que ele deveria continuar preso, em parte pela premeditação do crime e pela motivação de atacar celebridades.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
4
Não Fala Não Pra Mim (Part. Jerry Smith)
Humberto & Ronaldo
5
Quem Pegou, Pegou
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Assassino de John Lennon pede liberdade condicional pela décima vez

Todas as tentativas anteriores foram negadas; Mark David Chapman foi descrito como “egoísta e malvado” no último pedido

por Redação em 16/08/2018

Mark David Chapman, conhecido como o homem que assassinou John Lennon, entrou com pedido de liberdade condicional mais uma vez.

Chapman terá o pedido julgado em Nova York, Estados Unidos, na próxima semana. Essa é a sua décima tentativa de conseguir a condicional.

Atualmente, Chapman tem 63 anos. Ele está cumprindo pena perpétua em uma prisão de segurança máxima em Nova York. Ele atirou e matou o ex-Beatle do lado de fora do apartamento do artista em 8 de dezembro de 1980.

O último pedido de liberdade condicional feito por Chapman foi negado há dois anos. Na decisão, ele foi descrito como “egoísta e malvado”. Assim, foi determinado que ele deveria continuar preso, em parte pela premeditação do crime e pela motivação de atacar celebridades.