NOTÍCIAS

Camila Cabello abre o jogo sobre passado com Fifth Harmony

Em entrevista ao The New York Times, cantora revelou que não gostou da apresentação do grupo no VMA do ano passado

por Redação em 11/01/2018

Prestes a lançar o seu primeiro álbum solo, Camila Cabello deu uma entrevista reveladora para o jornal The New York Times, em que falou sobre seus pais, o processo de produção do disco e a saída do Fifth Harmony.

Pela primeira vez, a cantora topou falar mais abertamente sobre as divergências que teve com as outras integrantes, que culminaram na sua saída do grupo no fim de 2016.

A EVOLUÇÃO DE CAMILA CABELLO UM ANO APÓS DEIXAR O FIFTH HARMONY

Segundo Camila, a tensão se iniciou quando ela fez a sua primeira colaboração, em 2015, com Shawn Mendes. Essa foi, também, a primeira vez que uma integrante do Fifth Harmony lançou uma música fora do grupo. Depois dessa experiência, ela passou a pedir para ajudar no processo de composição das letras do 5H e foi ignorada. Camila também contou que seu desejo inicial era de permanecer no grupo enquanto trabalhava em seu primeiro disco solo, mas que as outras integrantes discordaram e passaram a evitá-la e isolá-la.

“Eu estava apenas curiosa e queria aprender e via todas essas pessoas a minha volta fazendo música, compondo, sendo livres. Eu queria fazer isso e não funcionou”.

CAMILA CABELLO DISCUTE A IMPORTÂNCIA DE LUTAR PELOS DIREITOS DOS IMIGRANTES

As coisas pioraram quando Camila passou a frequentar estúdios de gravação para sessões de composição com produtores como Diplo, Cashmere  Cat e Benny Blanco. Eventualmente, ela recebeu um ultimato. “Ficou claro que não era possível fazer meu disco solo e estar no grupo ao mesmo tempo”. Ela optou por sair, baseada na convicção de que se alguém quer explorar a individualidade, não é certo que seu desejo seja negado.

Desde então, ela diz que tentou esquecer o passado e conviver com menos drama possível, mas que nem sempre a tarefa foi fácil. Em agosto do ano passado, durante uma apresentação do Fifth Harmony na abertura do VMA, a figura de Camila foi representada no palco, apenas para ser jogada de uma plataforma logo no início da performance. Ela assistiu a tudo na sala de sua casa, ao lado da mãe. “Definitivamente me machucou. Eu não estava esperando por isso, não estava preparada – especialmente naquele momento em que eu já tinha superado aquilo”.

COM TAYLOR SWIFT E FIFTH HARMONY, O DISCURSO DE ÓDIO CHEGOU AO POP

“Preciso abrir espaço para que coisas boas aconteçam em minha vida. Não gosto de ficar presa ao passado, especialmente quando são coisas, na minha opinião, mesquinhas”.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Beijo de Varanda
Bruno & Marrone
2
Buá Buá
Naiara Azevedo
3
Contramão
Gustavo Mioto
4
Ausência
Marília Mendonça
5
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Camila Cabello abre o jogo sobre passado com Fifth Harmony

Em entrevista ao The New York Times, cantora revelou que não gostou da apresentação do grupo no VMA do ano passado

por Redação em 11/01/2018

Prestes a lançar o seu primeiro álbum solo, Camila Cabello deu uma entrevista reveladora para o jornal The New York Times, em que falou sobre seus pais, o processo de produção do disco e a saída do Fifth Harmony.

Pela primeira vez, a cantora topou falar mais abertamente sobre as divergências que teve com as outras integrantes, que culminaram na sua saída do grupo no fim de 2016.

A EVOLUÇÃO DE CAMILA CABELLO UM ANO APÓS DEIXAR O FIFTH HARMONY

Segundo Camila, a tensão se iniciou quando ela fez a sua primeira colaboração, em 2015, com Shawn Mendes. Essa foi, também, a primeira vez que uma integrante do Fifth Harmony lançou uma música fora do grupo. Depois dessa experiência, ela passou a pedir para ajudar no processo de composição das letras do 5H e foi ignorada. Camila também contou que seu desejo inicial era de permanecer no grupo enquanto trabalhava em seu primeiro disco solo, mas que as outras integrantes discordaram e passaram a evitá-la e isolá-la.

“Eu estava apenas curiosa e queria aprender e via todas essas pessoas a minha volta fazendo música, compondo, sendo livres. Eu queria fazer isso e não funcionou”.

CAMILA CABELLO DISCUTE A IMPORTÂNCIA DE LUTAR PELOS DIREITOS DOS IMIGRANTES

As coisas pioraram quando Camila passou a frequentar estúdios de gravação para sessões de composição com produtores como Diplo, Cashmere  Cat e Benny Blanco. Eventualmente, ela recebeu um ultimato. “Ficou claro que não era possível fazer meu disco solo e estar no grupo ao mesmo tempo”. Ela optou por sair, baseada na convicção de que se alguém quer explorar a individualidade, não é certo que seu desejo seja negado.

Desde então, ela diz que tentou esquecer o passado e conviver com menos drama possível, mas que nem sempre a tarefa foi fácil. Em agosto do ano passado, durante uma apresentação do Fifth Harmony na abertura do VMA, a figura de Camila foi representada no palco, apenas para ser jogada de uma plataforma logo no início da performance. Ela assistiu a tudo na sala de sua casa, ao lado da mãe. “Definitivamente me machucou. Eu não estava esperando por isso, não estava preparada – especialmente naquele momento em que eu já tinha superado aquilo”.

COM TAYLOR SWIFT E FIFTH HARMONY, O DISCURSO DE ÓDIO CHEGOU AO POP

“Preciso abrir espaço para que coisas boas aconteçam em minha vida. Não gosto de ficar presa ao passado, especialmente quando são coisas, na minha opinião, mesquinhas”.