NOTÍCIAS

Camila Cabello revela que sofre de TOC em nova entrevista

Cantora falou abertamente sobre o diagnóstico da doença

por Redação em 02/05/2018

Camila Cabello estampa a capa da edição de junho da revista Cosmopolitan U.K. e, na entrevista, revelou que sofre com Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

“TOC é estranho. Hoje eu dou risada. Todo mundo tem formas diferentes de lidar com o estresse. No meu caso, se fico estressada com alguma coisa, eu começo a ter o mesmo pensamento de novo e de novo e, não importa quantas vezes eu chegue ao resultado, sinto que algo de ruim vai acontecer se eu não continuar pensando naquilo”, contou. 

Camila revelou que tudo ficou mais fácil depois que ela foi oficialmente diagnosticada, ajudando a acabar com a confusão do porquê ela se sentia daquela maneira e abrindo caminho para que ela conseguisse lidar com o distúrbio. “Quando descobri e aprendi a dar um passo para trás, me senti muito melhor. Me sinto muito mais no controle agora. No ponto em que consigo identificar: ‘Ah, é meu TOC!’. Pergunto a mesma coisa para a minha mãe pela quarta vez e ela diz: ‘É TOC. Você precisa se desligar’.” 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Beijo de Varanda
Bruno & Marrone
2
Buá Buá
Naiara Azevedo
3
Contramão
Gustavo Mioto
4
Ausência
Marília Mendonça
5
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Camila Cabello revela que sofre de TOC em nova entrevista

Cantora falou abertamente sobre o diagnóstico da doença

por Redação em 02/05/2018

Camila Cabello estampa a capa da edição de junho da revista Cosmopolitan U.K. e, na entrevista, revelou que sofre com Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

“TOC é estranho. Hoje eu dou risada. Todo mundo tem formas diferentes de lidar com o estresse. No meu caso, se fico estressada com alguma coisa, eu começo a ter o mesmo pensamento de novo e de novo e, não importa quantas vezes eu chegue ao resultado, sinto que algo de ruim vai acontecer se eu não continuar pensando naquilo”, contou. 

Camila revelou que tudo ficou mais fácil depois que ela foi oficialmente diagnosticada, ajudando a acabar com a confusão do porquê ela se sentia daquela maneira e abrindo caminho para que ela conseguisse lidar com o distúrbio. “Quando descobri e aprendi a dar um passo para trás, me senti muito melhor. Me sinto muito mais no controle agora. No ponto em que consigo identificar: ‘Ah, é meu TOC!’. Pergunto a mesma coisa para a minha mãe pela quarta vez e ela diz: ‘É TOC. Você precisa se desligar’.”