NOTÍCIAS

Mariah Carey revela que sofre de transtorno bipolar

Em entrevista exclusiva à People, cantora contou sobre o diagnóstico e sua negação em aceitar a doença

por Redação em 11/04/2018

A cantora Mariah Carey revelou, com exclusividade à People, sua batalha contra a bipolaridade. Ela estampa a capa da edição desta semana da revista e, em entrevista, deu detalhes sobre a sua condição.

Mariah foi diagnosticada com transtorno bipolar tipo II em 2001, quando foi hospitalizada depois de um surto. Na época, a cantora não quis acreditar na notícia. Ela só procurou tratamento após “os dias mais difíceis que passei”, envolvendo problemas profissionais, um reality show no canal E! e dramas românticos.

“Até recentemente, eu vivia em negação e isolada, constantemente com medo de que alguém poderia me expor. Era um fardo muito difícil de carregar e eu não conseguia mais fazer isso. Procurei e recebi tratamento, coloquei pessoas positivas em minha vida e voltei a fazer o que eu amo – música”, contou.

Depois de anos sofrendo em silêncio, Mariah começou a fazer terapia e a tomar medicação para o transtorno bipolar tipo II. A doença envolve períodos de depressão, assim como hipomania (alteração de humor que causa hiperatividade, insônia e irritabilidade). “Estou tomando um remédio que parece ser muito bom. Não me faz sentir cansada, com preguiça ou nada do tipo. Encontrar o equilíbrio foi o mais importante”, revelou. “Por um bom tempo, pensei que eu tinha algum distúrbio do sono. Mas não era uma insônia normal em que você fica deitado, acordado, contando carneirinhos. Eu estava trabalhando, trabalhando, trabalhando e irritada, com um medo constante de decepcionar as pessoas. Agora sei que estava vivendo uma forma de mania. Acho que meus episódios depressivos eram caracterizados por pouca energia. Me sentia sozinha e triste – e culpada por não estar fazendo o que eu precisava pela minha carreira.”

Mãe dos gêmeos Monroe e Moroccan, de seis anos, Mariah resolveu abrir o jogo porque, finalmente, se sente confortável com a sua condição. “Estou em um bom momento agora. Tenho esperança de que vamos conseguir acabar com o estigma e as pessoas não vão precisar passar por nada disso sozinhas. Pode ser um caminho incrivelmente solitário. Mas a doença não precisa definir as pessoas e eu me recuso a deixar que ela me defina ou me controle.”

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Beijo de Varanda
Bruno & Marrone
2
Buá Buá
Naiara Azevedo
3
Contramão
Gustavo Mioto
4
Ausência
Marília Mendonça
5
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Mariah Carey revela que sofre de transtorno bipolar

Em entrevista exclusiva à People, cantora contou sobre o diagnóstico e sua negação em aceitar a doença

por Redação em 11/04/2018

A cantora Mariah Carey revelou, com exclusividade à People, sua batalha contra a bipolaridade. Ela estampa a capa da edição desta semana da revista e, em entrevista, deu detalhes sobre a sua condição.

Mariah foi diagnosticada com transtorno bipolar tipo II em 2001, quando foi hospitalizada depois de um surto. Na época, a cantora não quis acreditar na notícia. Ela só procurou tratamento após “os dias mais difíceis que passei”, envolvendo problemas profissionais, um reality show no canal E! e dramas românticos.

“Até recentemente, eu vivia em negação e isolada, constantemente com medo de que alguém poderia me expor. Era um fardo muito difícil de carregar e eu não conseguia mais fazer isso. Procurei e recebi tratamento, coloquei pessoas positivas em minha vida e voltei a fazer o que eu amo – música”, contou.

Depois de anos sofrendo em silêncio, Mariah começou a fazer terapia e a tomar medicação para o transtorno bipolar tipo II. A doença envolve períodos de depressão, assim como hipomania (alteração de humor que causa hiperatividade, insônia e irritabilidade). “Estou tomando um remédio que parece ser muito bom. Não me faz sentir cansada, com preguiça ou nada do tipo. Encontrar o equilíbrio foi o mais importante”, revelou. “Por um bom tempo, pensei que eu tinha algum distúrbio do sono. Mas não era uma insônia normal em que você fica deitado, acordado, contando carneirinhos. Eu estava trabalhando, trabalhando, trabalhando e irritada, com um medo constante de decepcionar as pessoas. Agora sei que estava vivendo uma forma de mania. Acho que meus episódios depressivos eram caracterizados por pouca energia. Me sentia sozinha e triste – e culpada por não estar fazendo o que eu precisava pela minha carreira.”

Mãe dos gêmeos Monroe e Moroccan, de seis anos, Mariah resolveu abrir o jogo porque, finalmente, se sente confortável com a sua condição. “Estou em um bom momento agora. Tenho esperança de que vamos conseguir acabar com o estigma e as pessoas não vão precisar passar por nada disso sozinhas. Pode ser um caminho incrivelmente solitário. Mas a doença não precisa definir as pessoas e eu me recuso a deixar que ela me defina ou me controle.”