NOTÍCIAS

Michelle Williams fala sobre os ensaios para a reunião do Destiny’s Child no Coachella

Grupo se apresentou com medley nos dois fins de semana em que Beyoncé foi a headliner do festival

por Redação em 24/04/2018

A reação de Michelle Williams sobre a reunião do Destiny’s Child no festival Coachella deste ano provavelmente foi muito parecida com a sua: “O que diabos é isso?”. É o que a cantora contou ao jornal Los Angeles Times sobre o que sentiu ao entrar no ensaio da apresentação.

"Inicialmente, eu pensei: ‘Bey, só suba no palco e se divirta’”, disse Michelle sobre o conselho dado à ex-companheira de grupo, que se tornou a primeira mulher negra a ser a atração do festival. “As pessoas estarão animadas para ver você.” Mas, quando Michelle chegou para o primeiro ensaio e viu uma estrutura de pirâmide com cerca de 100 cantores e dançarinos, ela percebeu que seu conselho tinha entrado por um ouvido e saído pelo outro. “Eu disse para ela se divertir! Mas Bey não consegue fazer nada que a gente acha que é normal. E isso é divertido para ela”. 

Não era segredo que Beyoncé, Michelle e Kelly Rowland iriam se reunir para o festival – elas cantaram um medley com hits como “Soldier”, “Lose My Breath” e “Say My Name” - mas Michelle disse que a sensação de estar naquele palco, cantando para o público do Coachella, foi inspirador. “Vamos chamar de bênção. Beyoncé e Kelly estão no jogo há o quê? 23 anos? Eu estou há 18 anos. E quando as pessoas nos veem juntas, elas ainda perdem a cabeça. Já estavam perguntando sobre uma turnê e sobre o lançamento de músicas. O último álbum saiu há 14 anos e as pessoas continuam a perguntar.”

Como você pode imaginar, os ensaios foram super intensos e Michelle revelou que todos incentivavam uns aos outros para ser o melhor possível. “Quando a Beyoncé faz algo, é porque ela sabe que se ela consegue, é porque todos no palco também conseguem. Uns podem precisar de mais ensaios do que outros, ou estudar um pouco mais. Sei que, independentemente da quantidade de pessoas naquele palco – 150, 200 – todos foram pra casa e suas vidas mudaram porque viram a ética de trabalho dela. Viram que ela não é uma mulher glamurosa, que voa em jatos privados e tem vários assistentes a sua volta que simplesmente aparece e dança magicamente. Ela se envolve.” 

Além das Destiny’s Child, Beyoncé também convidou o marido JAY-Z e a irmã Solange para participarem da apresentação, que foi uma celebração da cultura eda história negra dos Estados Unidos. “A música pode curar e unir. Pode unir raças, culturas e crenças. E é isso que vimos naquele dia. Não quero soar brega, mas há muito lá fora que nos divide. E eu amo o fato de Beyoncé ser capaz de fazer o oposto. Eu disse para ela: 'Você definitivamente tem um dedo na mudança da cultura'."

Desde que o trio entrou em hiato em 2001, as integrantes ocasionalmente se reúnem – em 2013, para o Super Bowl, e em 2014 para gravar uma música para um dos discos de Michelle. Mas agora que está morando em Los Angeles, a cantora afirma que o relacionamento fora dos palcos está mais forte. "Estou muito feliz por finalmente me mudar para onde elas estão. Kelly mora a quatro minutos de mim. Para ir até Beyoncé são, exatamente, 17 minutos. Então podemos nos ver a qualquer momento, sempre que quisermos. Não moramos na mesma cidade desde que saímos de Houston no início dos anos 2000."

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ausência
Marília Mendonça
2
Buá Buá
Naiara Azevedo
3
Beijo de Varanda
Bruno & Marrone
4
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
4
Te Assumo (Part. Naiara Azevedo)
Diego & Arnaldo
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Michelle Williams fala sobre os ensaios para a reunião do Destiny’s Child no Coachella

Grupo se apresentou com medley nos dois fins de semana em que Beyoncé foi a headliner do festival

por Redação em 24/04/2018

A reação de Michelle Williams sobre a reunião do Destiny’s Child no festival Coachella deste ano provavelmente foi muito parecida com a sua: “O que diabos é isso?”. É o que a cantora contou ao jornal Los Angeles Times sobre o que sentiu ao entrar no ensaio da apresentação.

"Inicialmente, eu pensei: ‘Bey, só suba no palco e se divirta’”, disse Michelle sobre o conselho dado à ex-companheira de grupo, que se tornou a primeira mulher negra a ser a atração do festival. “As pessoas estarão animadas para ver você.” Mas, quando Michelle chegou para o primeiro ensaio e viu uma estrutura de pirâmide com cerca de 100 cantores e dançarinos, ela percebeu que seu conselho tinha entrado por um ouvido e saído pelo outro. “Eu disse para ela se divertir! Mas Bey não consegue fazer nada que a gente acha que é normal. E isso é divertido para ela”. 

Não era segredo que Beyoncé, Michelle e Kelly Rowland iriam se reunir para o festival – elas cantaram um medley com hits como “Soldier”, “Lose My Breath” e “Say My Name” - mas Michelle disse que a sensação de estar naquele palco, cantando para o público do Coachella, foi inspirador. “Vamos chamar de bênção. Beyoncé e Kelly estão no jogo há o quê? 23 anos? Eu estou há 18 anos. E quando as pessoas nos veem juntas, elas ainda perdem a cabeça. Já estavam perguntando sobre uma turnê e sobre o lançamento de músicas. O último álbum saiu há 14 anos e as pessoas continuam a perguntar.”

Como você pode imaginar, os ensaios foram super intensos e Michelle revelou que todos incentivavam uns aos outros para ser o melhor possível. “Quando a Beyoncé faz algo, é porque ela sabe que se ela consegue, é porque todos no palco também conseguem. Uns podem precisar de mais ensaios do que outros, ou estudar um pouco mais. Sei que, independentemente da quantidade de pessoas naquele palco – 150, 200 – todos foram pra casa e suas vidas mudaram porque viram a ética de trabalho dela. Viram que ela não é uma mulher glamurosa, que voa em jatos privados e tem vários assistentes a sua volta que simplesmente aparece e dança magicamente. Ela se envolve.” 

Além das Destiny’s Child, Beyoncé também convidou o marido JAY-Z e a irmã Solange para participarem da apresentação, que foi uma celebração da cultura eda história negra dos Estados Unidos. “A música pode curar e unir. Pode unir raças, culturas e crenças. E é isso que vimos naquele dia. Não quero soar brega, mas há muito lá fora que nos divide. E eu amo o fato de Beyoncé ser capaz de fazer o oposto. Eu disse para ela: 'Você definitivamente tem um dedo na mudança da cultura'."

Desde que o trio entrou em hiato em 2001, as integrantes ocasionalmente se reúnem – em 2013, para o Super Bowl, e em 2014 para gravar uma música para um dos discos de Michelle. Mas agora que está morando em Los Angeles, a cantora afirma que o relacionamento fora dos palcos está mais forte. "Estou muito feliz por finalmente me mudar para onde elas estão. Kelly mora a quatro minutos de mim. Para ir até Beyoncé são, exatamente, 17 minutos. Então podemos nos ver a qualquer momento, sempre que quisermos. Não moramos na mesma cidade desde que saímos de Houston no início dos anos 2000."