NOTÍCIAS

NIARA, o projeto que pretende sacudir o pop brasileiro

Conheça o coletivo formado por Francisco Gil e Nuno Tavares, que lançou o primeiro single em parceria com Pabllo Vittar e fez barulho

por Rebecca Silva em 25/07/2018

Se você tiver a curiosidade de buscar o significado do nome Niara na internet, encontrará a seguinte definição: mulher em busca de grandes objetivos. Para Francisco Gil e Nuno Tavares, criadores do projeto batizado com este nome indígena, NIARA não é exatamente feminina, mas é uma força que abraçou os dois e uniu Brasil e Portugal.

No início de junho, NIARA lançou o primeiro single, “Não Esqueço”, em parceria com Pabllo Vittar. Na faixa, a drag queen teve a oportunidade de mostrar um outro lado do seu talento como cantora e a música recebeu boas críticas, além de ter sido bem recebida pelo público.

Mas ainda paira uma dúvida: a que veio NIARA? A Billboard Brasil conversou com Francisco Gil sobre o projeto e traz a resposta.

Para início de conversa: como você explica NIARA? Como surgiu o projeto?

É um projeto criado por mim e pelo Nuno Tavares, produtor musical português que trabalhou muitos anos em Portugal e Los Angeles e que veio ao Brasil na expectativa de encontrar algo bacana. Ele gosta muito de música brasileira e viu um cenário frutífero para o pop aqui. Foi um encontro mágico. Nuno já tinha esse conceito de NIARA na cabeça e me ganhou ao explicar o nome, a figura que representa. É basicamente um coletivo artístico (compositor/cantor e produtor).

E de onde veio esse nome?

A figura é uma entidade que nos dá fonte criativa, a musa inspiradora. Não é exatamente uma figura feminina, mas é uma força. A origem do nome é indígena. Niara abraçou a gente. "Não Esqueço", por exemplo, foi escrita no nosso primeiro encontro.

A cada lançamento, pretendem chamar alguém para dar cara ao projeto, como foi o caso da Pabllo no primeiro single “Não Esqueço”?

A cada lançamento, teremos um atmosfera sonora e visual diferente. Trata-se de uma colaboração entre cantores, atores. Encontros artísticos em que todos se misturam e se ajudam. A intenção é de proporcionar encontros, de trazer gente para somar, mas não é regra. A Pabllo foi fundamental porque traz algo de novo, de diferente.

Pabllo pôde mostrar um outro lado do seu talento na música. Vocês pretendem fazer isso com todos os artistas que vierem a participar, propondo algo de novo?

Queremos trazê-los para o nosso universo e somar para todos. Instigar o artista a se reinventar, mostrar-se de outra forma. Existe uma resistência do público, chega a ser chato ver sempre mais do mesmo, da mesma fórmula. Queremos produzir algo rico, mas valorizando as essências.

dia_2-26
Divulgação/Rafael di Celio

Quando a música foi lançada, acreditamos que se tratava de algum cantor fazendo parceria com a Pabllo, mas o projeto é algo muito além do que o que já estamos acostumados na música.

A intenção é de ter esse mistério para as pessoas irem entendendo aos poucos. NIARA é o coletivo, sempre se reinventando. Lá fora, temos o Major Lazer, o Daft Punk, duplas de compositores e produtores que chamam cantores para interpretar as músicas. No nosso caso, em "Não Esqueço", eu também canto. O mercado está aberto para o novo, o ousado. É o momento de colocar essa ideia para frente, trazer refresco para o pop, com letras que passam mensagem. 

Quais são as principais influências sonoras para o projeto?

Ele claramente tem um toque de vaporwave, com sintetizadores. A raiz é R&B, que é uma referência grande para mim. Coloquei pra fora tudo o que curtia, de Frank Ocean a Anderson Paak. Tem também esse toque moderno, do trap. É um caldeirão de influências. Para muitas pessoas, é fresco para os ouvidos, mas muitos outros elogiam e agradecem estarmos fazendo R&B no Brasil. Recebemos muitos comentários. Vamos seguir nessa referência, mas não estamos dentro de um segmento sonoro.

Vocês já estão trabalhando nos próximos lançamentos?

Sim! Quem gostou do primeiro single, vai gostar ainda mais dos próximos. As músicas contam a história desse encontro entre mim e Nuno, o amadurecimento dessa amizade.

Nuno é português. Vocês têm planos de lançar faixas também com artistas de Portugal e fortalecer esse intercâmbio?

Estamos muito felizes com a dimensão que já alcançamos com apenas um lançamento. Em Portugal, a música está tocando nas rádios. Recebemos várias mensagens de norte-americanos querendo colaborar com a gente. Estamos abertos, claro. Queremos ampliar o projeto, mas sempre tendo o Brasil como base. É daqui para fora. 

E você também é integrante da banda Sinara, que tem uma pegada completamente diferente. Como tem sido tocar os dois projetos ao mesmo tempo?

É enriquecedor. Na Sinara, toco guitarra e também canto. É uma parte de mim. Mas quero mostrar outras facetas, minhas composições. São dois projetos que se somam. Os outros integrantes também têm projetos paralelos, alguns tocam com meu avô [Gilberto Gil] e isso enriquece a banda.

 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
4
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
5
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

NIARA, o projeto que pretende sacudir o pop brasileiro

Conheça o coletivo formado por Francisco Gil e Nuno Tavares, que lançou o primeiro single em parceria com Pabllo Vittar e fez barulho

por Rebecca Silva em 25/07/2018

Se você tiver a curiosidade de buscar o significado do nome Niara na internet, encontrará a seguinte definição: mulher em busca de grandes objetivos. Para Francisco Gil e Nuno Tavares, criadores do projeto batizado com este nome indígena, NIARA não é exatamente feminina, mas é uma força que abraçou os dois e uniu Brasil e Portugal.

No início de junho, NIARA lançou o primeiro single, “Não Esqueço”, em parceria com Pabllo Vittar. Na faixa, a drag queen teve a oportunidade de mostrar um outro lado do seu talento como cantora e a música recebeu boas críticas, além de ter sido bem recebida pelo público.

Mas ainda paira uma dúvida: a que veio NIARA? A Billboard Brasil conversou com Francisco Gil sobre o projeto e traz a resposta.

Para início de conversa: como você explica NIARA? Como surgiu o projeto?

É um projeto criado por mim e pelo Nuno Tavares, produtor musical português que trabalhou muitos anos em Portugal e Los Angeles e que veio ao Brasil na expectativa de encontrar algo bacana. Ele gosta muito de música brasileira e viu um cenário frutífero para o pop aqui. Foi um encontro mágico. Nuno já tinha esse conceito de NIARA na cabeça e me ganhou ao explicar o nome, a figura que representa. É basicamente um coletivo artístico (compositor/cantor e produtor).

E de onde veio esse nome?

A figura é uma entidade que nos dá fonte criativa, a musa inspiradora. Não é exatamente uma figura feminina, mas é uma força. A origem do nome é indígena. Niara abraçou a gente. "Não Esqueço", por exemplo, foi escrita no nosso primeiro encontro.

A cada lançamento, pretendem chamar alguém para dar cara ao projeto, como foi o caso da Pabllo no primeiro single “Não Esqueço”?

A cada lançamento, teremos um atmosfera sonora e visual diferente. Trata-se de uma colaboração entre cantores, atores. Encontros artísticos em que todos se misturam e se ajudam. A intenção é de proporcionar encontros, de trazer gente para somar, mas não é regra. A Pabllo foi fundamental porque traz algo de novo, de diferente.

Pabllo pôde mostrar um outro lado do seu talento na música. Vocês pretendem fazer isso com todos os artistas que vierem a participar, propondo algo de novo?

Queremos trazê-los para o nosso universo e somar para todos. Instigar o artista a se reinventar, mostrar-se de outra forma. Existe uma resistência do público, chega a ser chato ver sempre mais do mesmo, da mesma fórmula. Queremos produzir algo rico, mas valorizando as essências.

dia_2-26
Divulgação/Rafael di Celio

Quando a música foi lançada, acreditamos que se tratava de algum cantor fazendo parceria com a Pabllo, mas o projeto é algo muito além do que o que já estamos acostumados na música.

A intenção é de ter esse mistério para as pessoas irem entendendo aos poucos. NIARA é o coletivo, sempre se reinventando. Lá fora, temos o Major Lazer, o Daft Punk, duplas de compositores e produtores que chamam cantores para interpretar as músicas. No nosso caso, em "Não Esqueço", eu também canto. O mercado está aberto para o novo, o ousado. É o momento de colocar essa ideia para frente, trazer refresco para o pop, com letras que passam mensagem. 

Quais são as principais influências sonoras para o projeto?

Ele claramente tem um toque de vaporwave, com sintetizadores. A raiz é R&B, que é uma referência grande para mim. Coloquei pra fora tudo o que curtia, de Frank Ocean a Anderson Paak. Tem também esse toque moderno, do trap. É um caldeirão de influências. Para muitas pessoas, é fresco para os ouvidos, mas muitos outros elogiam e agradecem estarmos fazendo R&B no Brasil. Recebemos muitos comentários. Vamos seguir nessa referência, mas não estamos dentro de um segmento sonoro.

Vocês já estão trabalhando nos próximos lançamentos?

Sim! Quem gostou do primeiro single, vai gostar ainda mais dos próximos. As músicas contam a história desse encontro entre mim e Nuno, o amadurecimento dessa amizade.

Nuno é português. Vocês têm planos de lançar faixas também com artistas de Portugal e fortalecer esse intercâmbio?

Estamos muito felizes com a dimensão que já alcançamos com apenas um lançamento. Em Portugal, a música está tocando nas rádios. Recebemos várias mensagens de norte-americanos querendo colaborar com a gente. Estamos abertos, claro. Queremos ampliar o projeto, mas sempre tendo o Brasil como base. É daqui para fora. 

E você também é integrante da banda Sinara, que tem uma pegada completamente diferente. Como tem sido tocar os dois projetos ao mesmo tempo?

É enriquecedor. Na Sinara, toco guitarra e também canto. É uma parte de mim. Mas quero mostrar outras facetas, minhas composições. São dois projetos que se somam. Os outros integrantes também têm projetos paralelos, alguns tocam com meu avô [Gilberto Gil] e isso enriquece a banda.