NOTÍCIAS

Os 50 artistas mais bem-pagos de 2018

Levantamento anual feito pela Billboard reúne os nomes que mais faturaram no último ano

por Redação em 20/07/2018

A indústria musical voltou a crescer, assim como a arrecadação dos artistas. A lista anual com os nomes dos mais bem pagos, feito pela Billboard, revela que houve crescimento de 12,9% no ganho dos artistas: em 2016, foram arrecadados US$ 851 milhões, enquanto em 2017 o número subiu para quase US$ 961 milhões.

A lista elenca 50 nomes com base no lucro conquistado com shows e royalties em vendas, streams e direitos autorais, tendo como foco os Estados Unidos.

Dividindo em gêneros musicais, são 24 artistas de rock, nove de pop, nove de country e oito de R&B/hip-hop na lista deste ano; 29 deles são considerados artistas com legado, aqueles que já estão na ativa por pelo menos 20 anos ou que já lançaram pelo menos 10 álbuns. O duo The Chainsmokers é o único representante de EDM na lista, já que DJs e produtores raramente divulgam seus lucros.

Como tem sido desde a criação da lista, boa parte da arrecadação dos artistas vem de suas turnês – quase 80%. Não é surpresa que os dois primeiros nomes do ranking deste ano, U2 e Garth Brooks, tiveram as duas turnês mais bem-sucedidas nos Estados Unidos em 2017. Apenas dois artistas não se enquadram neste padrão: Drake e Taylor Swift.

50. The Chainsmokers

A decisão de lançar um álbum em 2017, Memories... Do Not Open depois de uma enxurrada de singles, deu certo. O duo terminou o ano com o quarto maior número de downloads, 3,5 milhões, e muita força em streaming: 2,1 bilhões de execuções.Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

49. Def Leppard

Os fãs do Def Leppard preferem bater cabeça do que ouvir música online: a banda terminou o ano com o segundo menor número online da lista. Eles venderam 200 mil cópias do catálogo – o clássico Hysteria, de 1987, foi relançado no ano passado – e arrecadaram US$ 9,2 milhões com turnê. No ano passado, ocupavam o 38º lugar da lista.

Reprodução

48. Taylor Swift

Assim como Drake, a entrada de Taylor na lista se deu inteiramente pela força de sua carreira em vendas. (Sua turnêReputation só teve início em maio deste ano). Ela foi a artista que mais vendeu álbuns no ano passado: 2,2 milhões de cópias. Conseguiu 2,8 milhões de downloads de faixas e mais de 2 bilhões de streams. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

47. Panic! at the Disco

O Panic! At The Disco foi bem em três frentes no ano passado: foram 1,2 bilhão de streams – um dos quatro nomes do rock a ultrapassar a barreira de 1 bilhão; US$ 5,9 milhões arrecadados em turnê e mais de 1 milhão de downloads. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

46. Chris Brown

O total combinado de streams de áudio e vídeo de Brown, 2,4 bilhões, foi o sétimo maior da lista e seus US$ 2,6 milhões arrecadados com royalties foi o nono maior. Por que a discrepância? Streams em vídeo pagam menos do que royalties de áudio. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

45. Sam Hunt

“Body Like a Back Road” foi um hit. Apesar de chegar apenas ao 17º lugar no ranking de Streams, o single ajudou Hunt a ser um dos três artistas country a superar a marca de 1 bilhão de streams em 2017. Não apareceu na lista no ano passado.

Reprodução

44. Twenty One Pilots

O duo passou a segunda metade de 2017 trabalhando no novo álbum, Trench, que será lançado em 5 de outubro, mas mesmo afastados conseguiram bons números, particularmente em streaming. Foram o segundo nome mais ouvido na categoria Rock, com 1,8 bilhão de streams. No ano passado, ocupavam o 13º lugar da lista.

Reprodução

43. Janet Jackson

O retorno de Janet foi bem recebido pelos fãs, mas sem lançamentos desde 2015, boa parte do seu lucro veio das apresentações ao vivo. Como outros artistas com legado, seus números em streaming são anêmicos: 159,5 milhões. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

42. Ariana Grande

Ariana Grande é uma superestrela do streaming – uma dos 20 artistas a superar o 1 bilhão em 2017 – mas continua a ter bons números vendendo à moda antiga: seus fãs fizeram mais de 1 milhão de downloads. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

41. Elton John

Antes de anunciar sua turnê de despedida, Elton John passou muito tempo na estrada, coletando US$ 9,8 milhões neste processo. Ele também teve um bom ano em downloads (739 mil) e streams (357 milhões). No ano passado, ocupava o 32º lugar da lista.

Reprodução

40. Green Day

O Green Day passou boa parte do ano passado em turnê divulgando o disco Revolution Radio, o que incluiu 44 apresentações nos Estados Unidos que ajudou a banda a entrar na lista, além de um bom número em streams para um nome com legado: foram 565 milhões de streams e 665 mil downloads. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

39. Depeche Mode

Seus números no streaming são menores do que a média dos artistas com legado (foram 146 milhões em 2017), mas o Depeche Mode ainda atrai muito público para sua turnê, que arrecadou US$ 10,8 milhões. No ano passado, não estavam na lista.

Reprodução

38. Journey

O último disco foi lançado em 2011 e boa parte da arrecadação da banda vem de turnês, mas, neste ano, quase 20% do lucro, US$ 2,2 milhões, veio dos trabalhos gravados – que geraram 416 milhões de streams e 619 mil downloads. No ano passado, ocupavam o 44º lugar da lista.

Reprodução

37. Drake

Drake não saiu em turnê em 2017, fato que costuma deixar os artistas de fora da lista, mas ele não é qualquer um. Ele é o líder em streaming, com vantagem de US$ 3 milhões na frente do segundo colocado, Future. No ano passado, ocupava o 4º lugar da lista.

Reprodução

36. Faith Hill

Assim como o marido Tim McGraw, Faith faturou US$ 12 milhões com a turnê conjunta Soul2Soul no ano passado. Mesmo com o disco The Rest Of Our Life chegando ao topo do ranking de álbuns Country, o número de vendas e streaming de Faith não chega aos pés dos números do marido. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

35. J. Cole

Apesar de sua única música nos rankings em 2017 (na lista R&B) ser como colaborador de Miguel em “Come Through And Chill”, Cole conquistou o número impressionante de 2 bilhões de streams no ano passado – o 10º maior desta lista – o que rendeu US$ 2,6 milhões para o seu bolso. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

34. Zac Brown Band

O valor arrecadado com turnê não é nenhuma surpresa, já que a banda só fez 24 shows para divulgar o disco Welcome Home, mas os 658 milhões de streams que o álbum conquistou são maiores do que o de boa parte dos artistas country. Um milhão de downloads de faixas também ajudou. No ano passado, ocupavam o 28º lugar da lista.

Reprodução

33. Queen & Adam Lambert

Os integrantes sobreviventes da banda Queen são donos do próprio catálogo, que rendeu US$ 4,7 milhões em vendas, streams e royalties. Foram 640 milhões de streams em 2017, quase o dobro dos outros artistas com legado. Não apareceram na lista do ano passado.

Reprodução

32. Tim McGraw

Em 2017, o artista saiu pela terceira vez em turnê com a esposa, Faith Hill. Boa parte dos seus ganhos vieram da estrada, mas o disco colaborativo do casal, The Rest Of Our Life, rendeu 582,5 milhões de streams e 1,3 milhão de downloads, gerando mais US$ 1,5 milhão. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

31. New Kids On The Block

Os fãs do NKOTB são da velha guarda – é fácil perceber pelo lucro com streaming: US$ 42.100, a arrecadação mais baixa da lista neste quesito. Porém, eles atraem o público para seus shows ao vivo. A turnê Total Package, em parceria com Boyz II Men e Paula Abdul, rendeu cerca de US$ 2,7 milhões. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

30. Britney Spears

A maior parte do faturamento de Britney veio dos shows de residência em Las Vegas, mas ela também arrecadou US$ 927 mil com músicas gravadas – foram 548 milhões de streams, cerca de 200 milhões a mais que artistas com legado na lista. No ano passado, ocupava o 39º lugar.

Reprodução

29. Imagine Dragons

A banda terminou 2017 com 1,8 bilhão de streams, o maior número para uma banda de rock nesta lista. O disco Evolve, que chegou ao 2º lugar do Billboard 200, e os singles “Believer” e “Thunder”, que chegaram ao Top 5 do Hot 100, ajudaram no lucro de US$ 7,1 milhões em royalties. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

28. Bon Jovi

Em ano sem lançamento de álbum – o disco mais recente da banda, This House Is Not For Sale, foi em 2016 – os indicados ao Hall da Fama do Rock de 2018 faturaram respeitáveis US$ 1,6 milhão em vendas, streaming e royalties nos Estados Unidos.Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

27. Future

O lucro do rapper com suas gravações supera o que ele ganhou com turnê – uma raridade nesta época. Seus royalties totalizam US$ 7,9 milhões, com quase 70% desse número vindo de streamings. No ano passado, ocupava o 17º lugar da lista.

Reprodução

26. Céline Dion

Céline ganhou 11 posições em comparação com a lista anterior, mas tem o menor lucro com direitos autorais do ranking (porque raramente compõe as músicas que canta). Ainda assim, seu catálogo rendeu US$ 1 milhão em royalties e sua residência em Las Vegas e shows ao vivo arrecadaram US$ 15,1 milhão. No ano passado, ocupava a 37º posição da lista.

Reprodução

25. John Mayer

Mayer lançou o disco The Search For Everything em 2017 e chegou ao 2º lugar no Billboard 200. Com apelo para fãs de músicas das antigas, mas também agradando fãs de gerações mais novas, ele faturou quase US$ 900 mil com venda de álbum/faixas e US$ 1 milhão de streaming (a arrecadação com a turnê com Dead & Company não foi incluída). Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

24. Trans-Siberian Orchestra

O último disco da Trans-Siberian Orchestra foi lançado em 2015 e seu total de streamings é o terceiro menor da lista, mas o grupo continua a atrair grande público para seus shows. No ano passado, ocupavam o 19º lugar da lista.

Reprodução

23. Neil Diamond

Em janeiro, Neil Diamond anunciou a sua aposentadoria de turnês após ser diagnosticado com mal de Parkinson, mas finalizou o ano com US$ 14,5 milhões vindos das excursões e quase US$ 2 milhões com suas gravações. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

22. Dead & Company

Apesar de 90% do lucro ter vindo de turnê, o catálogo original do Grateful Dead vendeu 337 mil cópias, rendeu 200 mil downloads de faixas e os streams superaram os 230 milhões em 2017. No ano passado, ocupavam o 33º lugar da lista. 

Reprodução

21. Chris Stapleton

Coletivamente, seus dois álbuns lançados em 2017, From A Room: Volume 1 e Volume 2, ultrapassaram a marca de sete dígitos, vendendo 1,1 milhão de cópias. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

20. Bruce Springsteen

Springsteen diminuiu o espaço para o público em seus shows, de arenas e estádios para menos de mil cadeiras e, ainda assim, conseguiu um lugar no Top 20 dos artistas que mais lucraram em 2017. Apesar de ser uma turnê de (basicamente) um homem só, Springsteen on Broadway já foi prorrogada três vezes e vai virar um especial na Netflix. No ano passado, ocupava o 3º lugar na lista.

Reprodução

19. Eric Church

A turnê Holdin’ My Own, com 47 apresentações nos Estados Unidos, rendeu quase US$ 17 milhões. O artista é um dos quatro do country a arrecadar mais com streaming (US$ 927 mil) do que com vendas (US$ 787 mil) em 2017. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

18. JAY-Z

O rapper, que lançou o álbum confessional 4:44 em 2017, conseguiu 776 milhões de streams e arrecadou US$ 5,9 milhões com royalties. Como é dono da gravadora que lança seus discos, a Roc Nation, ele consegue melhores valores de royalties. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

17. Paul McCartney

Assim como no ano passado, McCartney aparece no Top 20 da lista, lucrando com suas turnês frequentes e sua parte do catálogo dos Beatles. No ano passado, ocupava o 16º lugar da lista.

Reprodução

16. Florida Georgia Line

Com mais de 1 bilhão de streams, o Florida Georgia Line é o maior nome country nessa categoria digital, gerando US$ 1,6 milhão para os integrantes Tyler Hubbard e Brian Kelley. No ano passado, ocupava o 23º lugar da lista.

Reprodução

15. Luke Bryan

Além de ser o segundo maior artista country de 2017, graças à sua turnê, Bryan é um dos quatro artistas do gênero nessa lista a ganhar mais em streaming do que em vendas e um dos três a ultrapassar a marca de 1 bilhão de streams em 2017. No ano passado, ocupava o 8º lugar da lista.

Reprodução

14. Red Hot Chili Peppers

A banda tem números expressivos para um grupo de outra época. Foram 738,6 milhões de streams em 2017, o que se traduz em US$ 1,4 milhão em ganhos. A banda também teve a 12ª maior turnê nos Estados Unidos no ano passado. Não estava na lista anterior.

Reprodução

13. Kendrick Lamar

Rapper que mais faturou em 2017, Lamar arrecadou US$ 9,5 milhões em royalties de gravação e direitos autorais. Desse total, US$ 5,3 milhões vieram de plataformas de streaming. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

12. The Weeknd

Abel Tesfaye ganhou 30 posições em relação à lista do ano passado, saindo do 42º lugar para o 12º. Ele foi o segundo artista mais ouvido de R&B/hip-hop no ano passado e é uma superestrela da era do streaming, ganhando US$ 3,8 milhões em royalties. The Weeknd está no Top 10 de vendas digitais, streams e execuções em rádio.

Reprodução

11. Tom Petty & The Heartbreakers

A turnê de 40 anos da banda, que chegou ao fim semanas antes da overdose fatal de opioides sofrida por Petty em outubro, corresponde a 85% do lucro. Um crescimento na procura pelas músicas após a morte do artista rendeu US$ 3,6 milhões em royalties. Não apareceram na lista no ano passado.

Reprodução

10. Coldplay

O grupo terminou 2017 com um portfólio diversificado de renda. O Coldplay vendeu US$ 2,2 milhões no meio digital e foi uma das quatro bandas de rock a superar o 1 bilhão de streams, o que ajudou a levar o lucro com royalties para US$ 4,1 milhões.No ano passado, ocupavam o 6º lugar da lista.

Reprodução

9. Roger Waters

O robusto número de US$ 1,3 milhão em royalties é atribuído a sua parte de lucro do catálogo do Pink Floyd. A Billboardestima que ele seja dono de 25% dos direitos. Ele não entrou na lista do ano passado.

Reprodução

8. Guns N' Roses

Axl Rose, Slash e Duff McKagan silenciaram os que duvidavam que a turnê Not in This Lifetime… fosse dar certo. Foi tão bem que ela já está em seu terceiro ano. A excursão rendeu US$ 25,9 milhões em 2017 e 39% dos royalties das músicas da banda vieram do streaming. No ano passado, ocupavam o 2º lugar da lista.

Reprodução

7. Billy Joel

Os shows de residência no Madison Square Garden, além de 15 outras apresentações em arenas e estádios, garantiram a Billy Joel a quinta turnê mais bem paga do ano passado. Apesar de ter lançado seu último disco de estúdio em 2001, seu catálogo rendeu US$ 1,8 milhão em royalties. No ano passado, ocupava a 11ª posição da lista.

Reprodução

6. Lady Gaga

Em sua primeira entrada na lista, Lady Gaga ganhou boa parte do seu dinheiro com a sexta turnê mais vista do ano passado. Como seu último lançamento, Joanne, foi em 2016, não é surpresa que suas vendas musicais não sejam tão altas. O digital foi seu forte, com 2,3 milhões de downloads.

Reprodução

5. Ed Sheeran

Outro novato na lista, Sheeran chegou ao topo do Hot 100 duas vezes em 2017, com “Perfect” e “Shape Of You”. Ele foi o artista mais ouvido nas rádios norte-americanas no ano passado, com 1,9 milhão de execuções. Ele também é o terceiro a arrecadar mais com royalties de músicas gravadas: US$ 11,5 milhões.

 

Reprodução

4. Bruno Mars

Novato na lista, Mars conquistou muito em 2017: foi o maior artista dos rankings R&B/hip-hop, o segundo mais tocado em rádios norte-americanas (com 1,8 milhão de execuções), teve a terceira melhor turnê do ano e é o sétimo mais ouvido em streaming (2,6 bilhões de execuções).

Reprodução

3. Metallica

Os monstros do metal tiveram a quarta turnê mais vista de 2017 e ocupam o 1º lugar de ganhos em royalties de músicas graças ao impressionante número de 1,4 milhão de cópias vendidas de seus trabalhos no último ano – desse número, 585 mil foram do disco mais recente, Hardwired... To Self-Destruct, de 2016 – o que rendeu US$ 8,7 milhões. No ano passado, ocupavam o 15º lugar da lista.

Reprodução


2. Garth Brooks

Na lista do ano passado, o cantor country ocupava o 18º lugar. O salto se deu pelo trabalho na estrada. No fim de 2017, ele concluiu uma turnê de três anos e meio, com 390 apresentações. A Billboard estima um ganho de US$ 137,3 milhões no ano passado, sendo que US$ 46,7 milhões foram para a sua conta bancária.

Reprodução

1. U2

Boa parte do faturamento da banda, US$ 54,5 milhões no total, vem da turnê The Joshua Tree, que passou pelo Brasil em outubro do ano passado, para quatro shows lotados em São Paulo (com ingressos chegando a R$ 1.250). 

As músicas de Bono e companhia geraram US$ 2,4 milhões e isso se deu por causa dos shows. O álbum lançado pela banda no ano passado, Songs of Experience, tinha a opção de compra combinada com ingressos para a turnê Experience + Innocence, deste ano, o que ajudou o disco a estrear em 1º lugar no Billboard 200 em dezembro. O disco vendeu 186 mil cópias em sua primeira semana, o recorde para um álbum de rock neste ano.

Reprodução

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
4
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
5
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Os 50 artistas mais bem-pagos de 2018

Levantamento anual feito pela Billboard reúne os nomes que mais faturaram no último ano

por Redação em 20/07/2018

A indústria musical voltou a crescer, assim como a arrecadação dos artistas. A lista anual com os nomes dos mais bem pagos, feito pela Billboard, revela que houve crescimento de 12,9% no ganho dos artistas: em 2016, foram arrecadados US$ 851 milhões, enquanto em 2017 o número subiu para quase US$ 961 milhões.

A lista elenca 50 nomes com base no lucro conquistado com shows e royalties em vendas, streams e direitos autorais, tendo como foco os Estados Unidos.

Dividindo em gêneros musicais, são 24 artistas de rock, nove de pop, nove de country e oito de R&B/hip-hop na lista deste ano; 29 deles são considerados artistas com legado, aqueles que já estão na ativa por pelo menos 20 anos ou que já lançaram pelo menos 10 álbuns. O duo The Chainsmokers é o único representante de EDM na lista, já que DJs e produtores raramente divulgam seus lucros.

Como tem sido desde a criação da lista, boa parte da arrecadação dos artistas vem de suas turnês – quase 80%. Não é surpresa que os dois primeiros nomes do ranking deste ano, U2 e Garth Brooks, tiveram as duas turnês mais bem-sucedidas nos Estados Unidos em 2017. Apenas dois artistas não se enquadram neste padrão: Drake e Taylor Swift.

50. The Chainsmokers

A decisão de lançar um álbum em 2017, Memories... Do Not Open depois de uma enxurrada de singles, deu certo. O duo terminou o ano com o quarto maior número de downloads, 3,5 milhões, e muita força em streaming: 2,1 bilhões de execuções.Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

49. Def Leppard

Os fãs do Def Leppard preferem bater cabeça do que ouvir música online: a banda terminou o ano com o segundo menor número online da lista. Eles venderam 200 mil cópias do catálogo – o clássico Hysteria, de 1987, foi relançado no ano passado – e arrecadaram US$ 9,2 milhões com turnê. No ano passado, ocupavam o 38º lugar da lista.

Reprodução

48. Taylor Swift

Assim como Drake, a entrada de Taylor na lista se deu inteiramente pela força de sua carreira em vendas. (Sua turnêReputation só teve início em maio deste ano). Ela foi a artista que mais vendeu álbuns no ano passado: 2,2 milhões de cópias. Conseguiu 2,8 milhões de downloads de faixas e mais de 2 bilhões de streams. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

47. Panic! at the Disco

O Panic! At The Disco foi bem em três frentes no ano passado: foram 1,2 bilhão de streams – um dos quatro nomes do rock a ultrapassar a barreira de 1 bilhão; US$ 5,9 milhões arrecadados em turnê e mais de 1 milhão de downloads. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

46. Chris Brown

O total combinado de streams de áudio e vídeo de Brown, 2,4 bilhões, foi o sétimo maior da lista e seus US$ 2,6 milhões arrecadados com royalties foi o nono maior. Por que a discrepância? Streams em vídeo pagam menos do que royalties de áudio. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

45. Sam Hunt

“Body Like a Back Road” foi um hit. Apesar de chegar apenas ao 17º lugar no ranking de Streams, o single ajudou Hunt a ser um dos três artistas country a superar a marca de 1 bilhão de streams em 2017. Não apareceu na lista no ano passado.

Reprodução

44. Twenty One Pilots

O duo passou a segunda metade de 2017 trabalhando no novo álbum, Trench, que será lançado em 5 de outubro, mas mesmo afastados conseguiram bons números, particularmente em streaming. Foram o segundo nome mais ouvido na categoria Rock, com 1,8 bilhão de streams. No ano passado, ocupavam o 13º lugar da lista.

Reprodução

43. Janet Jackson

O retorno de Janet foi bem recebido pelos fãs, mas sem lançamentos desde 2015, boa parte do seu lucro veio das apresentações ao vivo. Como outros artistas com legado, seus números em streaming são anêmicos: 159,5 milhões. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

42. Ariana Grande

Ariana Grande é uma superestrela do streaming – uma dos 20 artistas a superar o 1 bilhão em 2017 – mas continua a ter bons números vendendo à moda antiga: seus fãs fizeram mais de 1 milhão de downloads. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

41. Elton John

Antes de anunciar sua turnê de despedida, Elton John passou muito tempo na estrada, coletando US$ 9,8 milhões neste processo. Ele também teve um bom ano em downloads (739 mil) e streams (357 milhões). No ano passado, ocupava o 32º lugar da lista.

Reprodução

40. Green Day

O Green Day passou boa parte do ano passado em turnê divulgando o disco Revolution Radio, o que incluiu 44 apresentações nos Estados Unidos que ajudou a banda a entrar na lista, além de um bom número em streams para um nome com legado: foram 565 milhões de streams e 665 mil downloads. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

39. Depeche Mode

Seus números no streaming são menores do que a média dos artistas com legado (foram 146 milhões em 2017), mas o Depeche Mode ainda atrai muito público para sua turnê, que arrecadou US$ 10,8 milhões. No ano passado, não estavam na lista.

Reprodução

38. Journey

O último disco foi lançado em 2011 e boa parte da arrecadação da banda vem de turnês, mas, neste ano, quase 20% do lucro, US$ 2,2 milhões, veio dos trabalhos gravados – que geraram 416 milhões de streams e 619 mil downloads. No ano passado, ocupavam o 44º lugar da lista.

Reprodução

37. Drake

Drake não saiu em turnê em 2017, fato que costuma deixar os artistas de fora da lista, mas ele não é qualquer um. Ele é o líder em streaming, com vantagem de US$ 3 milhões na frente do segundo colocado, Future. No ano passado, ocupava o 4º lugar da lista.

Reprodução

36. Faith Hill

Assim como o marido Tim McGraw, Faith faturou US$ 12 milhões com a turnê conjunta Soul2Soul no ano passado. Mesmo com o disco The Rest Of Our Life chegando ao topo do ranking de álbuns Country, o número de vendas e streaming de Faith não chega aos pés dos números do marido. Não estava na lista no ano passado.

Reprodução

35. J. Cole

Apesar de sua única música nos rankings em 2017 (na lista R&B) ser como colaborador de Miguel em “Come Through And Chill”, Cole conquistou o número impressionante de 2 bilhões de streams no ano passado – o 10º maior desta lista – o que rendeu US$ 2,6 milhões para o seu bolso. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

34. Zac Brown Band

O valor arrecadado com turnê não é nenhuma surpresa, já que a banda só fez 24 shows para divulgar o disco Welcome Home, mas os 658 milhões de streams que o álbum conquistou são maiores do que o de boa parte dos artistas country. Um milhão de downloads de faixas também ajudou. No ano passado, ocupavam o 28º lugar da lista.

Reprodução

33. Queen & Adam Lambert

Os integrantes sobreviventes da banda Queen são donos do próprio catálogo, que rendeu US$ 4,7 milhões em vendas, streams e royalties. Foram 640 milhões de streams em 2017, quase o dobro dos outros artistas com legado. Não apareceram na lista do ano passado.

Reprodução

32. Tim McGraw

Em 2017, o artista saiu pela terceira vez em turnê com a esposa, Faith Hill. Boa parte dos seus ganhos vieram da estrada, mas o disco colaborativo do casal, The Rest Of Our Life, rendeu 582,5 milhões de streams e 1,3 milhão de downloads, gerando mais US$ 1,5 milhão. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

31. New Kids On The Block

Os fãs do NKOTB são da velha guarda – é fácil perceber pelo lucro com streaming: US$ 42.100, a arrecadação mais baixa da lista neste quesito. Porém, eles atraem o público para seus shows ao vivo. A turnê Total Package, em parceria com Boyz II Men e Paula Abdul, rendeu cerca de US$ 2,7 milhões. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

30. Britney Spears

A maior parte do faturamento de Britney veio dos shows de residência em Las Vegas, mas ela também arrecadou US$ 927 mil com músicas gravadas – foram 548 milhões de streams, cerca de 200 milhões a mais que artistas com legado na lista. No ano passado, ocupava o 39º lugar.

Reprodução

29. Imagine Dragons

A banda terminou 2017 com 1,8 bilhão de streams, o maior número para uma banda de rock nesta lista. O disco Evolve, que chegou ao 2º lugar do Billboard 200, e os singles “Believer” e “Thunder”, que chegaram ao Top 5 do Hot 100, ajudaram no lucro de US$ 7,1 milhões em royalties. Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

28. Bon Jovi

Em ano sem lançamento de álbum – o disco mais recente da banda, This House Is Not For Sale, foi em 2016 – os indicados ao Hall da Fama do Rock de 2018 faturaram respeitáveis US$ 1,6 milhão em vendas, streaming e royalties nos Estados Unidos.Não estavam na lista do ano passado.

Reprodução

27. Future

O lucro do rapper com suas gravações supera o que ele ganhou com turnê – uma raridade nesta época. Seus royalties totalizam US$ 7,9 milhões, com quase 70% desse número vindo de streamings. No ano passado, ocupava o 17º lugar da lista.

Reprodução

26. Céline Dion

Céline ganhou 11 posições em comparação com a lista anterior, mas tem o menor lucro com direitos autorais do ranking (porque raramente compõe as músicas que canta). Ainda assim, seu catálogo rendeu US$ 1 milhão em royalties e sua residência em Las Vegas e shows ao vivo arrecadaram US$ 15,1 milhão. No ano passado, ocupava a 37º posição da lista.

Reprodução

25. John Mayer

Mayer lançou o disco The Search For Everything em 2017 e chegou ao 2º lugar no Billboard 200. Com apelo para fãs de músicas das antigas, mas também agradando fãs de gerações mais novas, ele faturou quase US$ 900 mil com venda de álbum/faixas e US$ 1 milhão de streaming (a arrecadação com a turnê com Dead & Company não foi incluída). Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

24. Trans-Siberian Orchestra

O último disco da Trans-Siberian Orchestra foi lançado em 2015 e seu total de streamings é o terceiro menor da lista, mas o grupo continua a atrair grande público para seus shows. No ano passado, ocupavam o 19º lugar da lista.

Reprodução

23. Neil Diamond

Em janeiro, Neil Diamond anunciou a sua aposentadoria de turnês após ser diagnosticado com mal de Parkinson, mas finalizou o ano com US$ 14,5 milhões vindos das excursões e quase US$ 2 milhões com suas gravações. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

22. Dead & Company

Apesar de 90% do lucro ter vindo de turnê, o catálogo original do Grateful Dead vendeu 337 mil cópias, rendeu 200 mil downloads de faixas e os streams superaram os 230 milhões em 2017. No ano passado, ocupavam o 33º lugar da lista. 

Reprodução

21. Chris Stapleton

Coletivamente, seus dois álbuns lançados em 2017, From A Room: Volume 1 e Volume 2, ultrapassaram a marca de sete dígitos, vendendo 1,1 milhão de cópias. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

20. Bruce Springsteen

Springsteen diminuiu o espaço para o público em seus shows, de arenas e estádios para menos de mil cadeiras e, ainda assim, conseguiu um lugar no Top 20 dos artistas que mais lucraram em 2017. Apesar de ser uma turnê de (basicamente) um homem só, Springsteen on Broadway já foi prorrogada três vezes e vai virar um especial na Netflix. No ano passado, ocupava o 3º lugar na lista.

Reprodução

19. Eric Church

A turnê Holdin’ My Own, com 47 apresentações nos Estados Unidos, rendeu quase US$ 17 milhões. O artista é um dos quatro do country a arrecadar mais com streaming (US$ 927 mil) do que com vendas (US$ 787 mil) em 2017. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

18. JAY-Z

O rapper, que lançou o álbum confessional 4:44 em 2017, conseguiu 776 milhões de streams e arrecadou US$ 5,9 milhões com royalties. Como é dono da gravadora que lança seus discos, a Roc Nation, ele consegue melhores valores de royalties. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

17. Paul McCartney

Assim como no ano passado, McCartney aparece no Top 20 da lista, lucrando com suas turnês frequentes e sua parte do catálogo dos Beatles. No ano passado, ocupava o 16º lugar da lista.

Reprodução

16. Florida Georgia Line

Com mais de 1 bilhão de streams, o Florida Georgia Line é o maior nome country nessa categoria digital, gerando US$ 1,6 milhão para os integrantes Tyler Hubbard e Brian Kelley. No ano passado, ocupava o 23º lugar da lista.

Reprodução

15. Luke Bryan

Além de ser o segundo maior artista country de 2017, graças à sua turnê, Bryan é um dos quatro artistas do gênero nessa lista a ganhar mais em streaming do que em vendas e um dos três a ultrapassar a marca de 1 bilhão de streams em 2017. No ano passado, ocupava o 8º lugar da lista.

Reprodução

14. Red Hot Chili Peppers

A banda tem números expressivos para um grupo de outra época. Foram 738,6 milhões de streams em 2017, o que se traduz em US$ 1,4 milhão em ganhos. A banda também teve a 12ª maior turnê nos Estados Unidos no ano passado. Não estava na lista anterior.

Reprodução

13. Kendrick Lamar

Rapper que mais faturou em 2017, Lamar arrecadou US$ 9,5 milhões em royalties de gravação e direitos autorais. Desse total, US$ 5,3 milhões vieram de plataformas de streaming. Não estava na lista do ano passado.

Reprodução

12. The Weeknd

Abel Tesfaye ganhou 30 posições em relação à lista do ano passado, saindo do 42º lugar para o 12º. Ele foi o segundo artista mais ouvido de R&B/hip-hop no ano passado e é uma superestrela da era do streaming, ganhando US$ 3,8 milhões em royalties. The Weeknd está no Top 10 de vendas digitais, streams e execuções em rádio.

Reprodução

11. Tom Petty & The Heartbreakers

A turnê de 40 anos da banda, que chegou ao fim semanas antes da overdose fatal de opioides sofrida por Petty em outubro, corresponde a 85% do lucro. Um crescimento na procura pelas músicas após a morte do artista rendeu US$ 3,6 milhões em royalties. Não apareceram na lista no ano passado.

Reprodução

10. Coldplay

O grupo terminou 2017 com um portfólio diversificado de renda. O Coldplay vendeu US$ 2,2 milhões no meio digital e foi uma das quatro bandas de rock a superar o 1 bilhão de streams, o que ajudou a levar o lucro com royalties para US$ 4,1 milhões.No ano passado, ocupavam o 6º lugar da lista.

Reprodução

9. Roger Waters

O robusto número de US$ 1,3 milhão em royalties é atribuído a sua parte de lucro do catálogo do Pink Floyd. A Billboardestima que ele seja dono de 25% dos direitos. Ele não entrou na lista do ano passado.

Reprodução

8. Guns N' Roses

Axl Rose, Slash e Duff McKagan silenciaram os que duvidavam que a turnê Not in This Lifetime… fosse dar certo. Foi tão bem que ela já está em seu terceiro ano. A excursão rendeu US$ 25,9 milhões em 2017 e 39% dos royalties das músicas da banda vieram do streaming. No ano passado, ocupavam o 2º lugar da lista.

Reprodução

7. Billy Joel

Os shows de residência no Madison Square Garden, além de 15 outras apresentações em arenas e estádios, garantiram a Billy Joel a quinta turnê mais bem paga do ano passado. Apesar de ter lançado seu último disco de estúdio em 2001, seu catálogo rendeu US$ 1,8 milhão em royalties. No ano passado, ocupava a 11ª posição da lista.

Reprodução

6. Lady Gaga

Em sua primeira entrada na lista, Lady Gaga ganhou boa parte do seu dinheiro com a sexta turnê mais vista do ano passado. Como seu último lançamento, Joanne, foi em 2016, não é surpresa que suas vendas musicais não sejam tão altas. O digital foi seu forte, com 2,3 milhões de downloads.

Reprodução

5. Ed Sheeran

Outro novato na lista, Sheeran chegou ao topo do Hot 100 duas vezes em 2017, com “Perfect” e “Shape Of You”. Ele foi o artista mais ouvido nas rádios norte-americanas no ano passado, com 1,9 milhão de execuções. Ele também é o terceiro a arrecadar mais com royalties de músicas gravadas: US$ 11,5 milhões.

 

Reprodução

4. Bruno Mars

Novato na lista, Mars conquistou muito em 2017: foi o maior artista dos rankings R&B/hip-hop, o segundo mais tocado em rádios norte-americanas (com 1,8 milhão de execuções), teve a terceira melhor turnê do ano e é o sétimo mais ouvido em streaming (2,6 bilhões de execuções).

Reprodução

3. Metallica

Os monstros do metal tiveram a quarta turnê mais vista de 2017 e ocupam o 1º lugar de ganhos em royalties de músicas graças ao impressionante número de 1,4 milhão de cópias vendidas de seus trabalhos no último ano – desse número, 585 mil foram do disco mais recente, Hardwired... To Self-Destruct, de 2016 – o que rendeu US$ 8,7 milhões. No ano passado, ocupavam o 15º lugar da lista.

Reprodução


2. Garth Brooks

Na lista do ano passado, o cantor country ocupava o 18º lugar. O salto se deu pelo trabalho na estrada. No fim de 2017, ele concluiu uma turnê de três anos e meio, com 390 apresentações. A Billboard estima um ganho de US$ 137,3 milhões no ano passado, sendo que US$ 46,7 milhões foram para a sua conta bancária.

Reprodução

1. U2

Boa parte do faturamento da banda, US$ 54,5 milhões no total, vem da turnê The Joshua Tree, que passou pelo Brasil em outubro do ano passado, para quatro shows lotados em São Paulo (com ingressos chegando a R$ 1.250). 

As músicas de Bono e companhia geraram US$ 2,4 milhões e isso se deu por causa dos shows. O álbum lançado pela banda no ano passado, Songs of Experience, tinha a opção de compra combinada com ingressos para a turnê Experience + Innocence, deste ano, o que ajudou o disco a estrear em 1º lugar no Billboard 200 em dezembro. O disco vendeu 186 mil cópias em sua primeira semana, o recorde para um álbum de rock neste ano.

Reprodução