NOTÍCIAS

Produtor TBHits fala sobre o seu trabalho no disco Sweetener, de Ariana Grande

Tommy, que já colabora com a cantora desde o início da carreira, foi o responsável pelas faixas “Pete Davidson”, “Goodnight n Go” e “Better Off”

por Redação em 23/08/2018

O produtor TBHits e Ariana Grande são amigos de longa data. Na verdade, trabalham juntos desde antes do primeiro disco da cantora vir ao mundo. Dias após o lançamento do quarto álbum de estúdio, Sweetener, a Billboard conversou com o produtor sobre seu trabalho no projeto.

A evidente química entre a dupla rendeu algumas das faixas mais marcante do trabalho, que também contou com a produção de Max Martin, Pharrell Williams, Hit-Boy, Savan Kotecha e outros. TBHits, também conhecido como Tommy Brown, foi o responsável por “Pete Davidson”, música dedicada ao noivo da cantora; “Goodnight n Go”, com samples de Imogen Heap, e “Better Off”.

Para TBHits, que trabalhou com Ariana em seu disco de estreia, Yours Truly, em 2013, assim como no projeto especial Christmas and Chill, em 2015, e em boa parte das músicas do antecessor de Sweetener, Dangerous Woman, colaborar com a cantora é como estar em casa.

Leia, a seguir, os melhores momentos da entrevista:

O álbum de Ariana provavelmente estreará em 1º lugar no Billboard 200 na próxima semana. Como se sente?

É ótimo. Não posso reclamar. Se eu reclamasse, ninguém me daria ouvidos, né?

Você trabalhou em três músicas de Sweetener. O que Ariana estava buscando?

Eu e Ariana trabalhamos juntos desde o início. Já fizemos vários projetos, incluindo um Natalino, então não precisou haver uma conexão porque já somos muito próximos. Mas é o processo criativo: gosto de falar com ela sobre as coisas que está sentindo e é assim que criamos as músicas. Ela é muito orgânica, gosta de se envolver de verdade e sabe o que quer.

O interlude “Pete Davidson” se destaca, é o tipo de música da qual os fãs gostariam de ouvir a versão completa.

Isso já aconteceu com a gente antes, mas “Pete” foi algo que Ariana disse: “Eu quero me abrir, quero falar sobre esse assunto específico”.Comecei a tocar alguns acordes – estávamos eu, ela e Victoria Monét [cantora, compositora e amiga de Ariana] – essa é a equipe. Começamos a fazer a música. Eu não sabia que ela se chamaria “Pete Davidson”. Mas eu disse para ela: “Estou feliz por você estar feliz”. Quero ver todo mundo feliz. Se Pete a deixa assim, então também fico feliz.

Então o título surgiu depois que vocês já tinham terminado a música?

Sim. Na verdade, eu acho que ela já tinha o título em mente antes de fazermos a música.

Isso significa que dava para perceber pelo jeito que ela cantou? Como foi isso?

Ela estava tão feliz e eu sabia sobre o que a música falava. Sabia que era sobre ele. Não sabia que o título seria esse, mas é incrível.

Goodnight n Go” tem samples de Imogen Heap.

Sim, é engraçado porque há muito tempo nós conversamos sobre Imogen Heap, que é uma das minhas artistas favoritas, e ela disse que a amavatambém. Ela disse: “Eu realmente amo essa música, gostaria de fazer algo com ela”. Me reuni com minha equipe. Produzimos a música, ela e a Victoria escreveram o resto da letra. É uma das minhas produções favoritas.

Por quê?

Eu amo a dinâmica da música. Você tem uma quebra pop, mas tem um toque urbano. Foi divertido de fazer.

Vocês pediram permissão para regravar o trabalho de Imogen Heap?

Imogen é uma grande amiga de Ariana, então tenho certeza de que falaram sobre isso. Não a conheço, mas mal posso esperar para encontrá-la em breve.

Better Off” foi produzida por várias pessoas. Como aconteceu?

Ariana tinha feito uma música com Hit-Boy há um tempo. E então ela disse: “Ei, Tommy, adoro a vibe dessa música e quero que ela fique pronta. Você pode ouvir?”. Fizemos algumas mudanças na produção. Minimizamos tudo. Acho que soa muito melhor minimalista, focando na voz dela. Porque as pessoas escutam para ouvir o artista, não para ouvir as batidas.

O discurso da crítica e do público é de que esse álbum foi um passo experimental para Ariana. Em que posição você acha que o disco a coloca nesse momento da carreira?

Acho que a coloca em um lugar incrível porque, para mim, cada álbum deve ser diferente. Sinto que você tem que experimentar. Isso é o que os grandes artistas fizeram. Nem todos os álbuns de Michael Jackson eram Thriller. Há partes diferentes da sua vida e situações diferentes que você vive. Sinto que ela é muito transparente na maneira como sente as coisas. Ela é assim a cada álbum.

Em Sweetener , não há canções super pop como nos discos anteriores de Ariana. É como se ela diminuísse o ritmo e o volume. Considero isso uma grande mudança para alguém com tanta consistência.

Sim, concordo. Mas, ao mesmo tempo, é a forma como ela se sente neste momento, talvez é a forma como ela se sente para este disco. Não acho que ela vá se afastar das faixas mais pop, mas, desta vez ela quis dizer: “Ei, eu quero fazer do meu jeito. Quero arregaçar as mangas e mergulhar naquilo que eu quero fazer”.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
4
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
5
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Produtor TBHits fala sobre o seu trabalho no disco Sweetener, de Ariana Grande

Tommy, que já colabora com a cantora desde o início da carreira, foi o responsável pelas faixas “Pete Davidson”, “Goodnight n Go” e “Better Off”

por Redação em 23/08/2018

O produtor TBHits e Ariana Grande são amigos de longa data. Na verdade, trabalham juntos desde antes do primeiro disco da cantora vir ao mundo. Dias após o lançamento do quarto álbum de estúdio, Sweetener, a Billboard conversou com o produtor sobre seu trabalho no projeto.

A evidente química entre a dupla rendeu algumas das faixas mais marcante do trabalho, que também contou com a produção de Max Martin, Pharrell Williams, Hit-Boy, Savan Kotecha e outros. TBHits, também conhecido como Tommy Brown, foi o responsável por “Pete Davidson”, música dedicada ao noivo da cantora; “Goodnight n Go”, com samples de Imogen Heap, e “Better Off”.

Para TBHits, que trabalhou com Ariana em seu disco de estreia, Yours Truly, em 2013, assim como no projeto especial Christmas and Chill, em 2015, e em boa parte das músicas do antecessor de Sweetener, Dangerous Woman, colaborar com a cantora é como estar em casa.

Leia, a seguir, os melhores momentos da entrevista:

O álbum de Ariana provavelmente estreará em 1º lugar no Billboard 200 na próxima semana. Como se sente?

É ótimo. Não posso reclamar. Se eu reclamasse, ninguém me daria ouvidos, né?

Você trabalhou em três músicas de Sweetener. O que Ariana estava buscando?

Eu e Ariana trabalhamos juntos desde o início. Já fizemos vários projetos, incluindo um Natalino, então não precisou haver uma conexão porque já somos muito próximos. Mas é o processo criativo: gosto de falar com ela sobre as coisas que está sentindo e é assim que criamos as músicas. Ela é muito orgânica, gosta de se envolver de verdade e sabe o que quer.

O interlude “Pete Davidson” se destaca, é o tipo de música da qual os fãs gostariam de ouvir a versão completa.

Isso já aconteceu com a gente antes, mas “Pete” foi algo que Ariana disse: “Eu quero me abrir, quero falar sobre esse assunto específico”.Comecei a tocar alguns acordes – estávamos eu, ela e Victoria Monét [cantora, compositora e amiga de Ariana] – essa é a equipe. Começamos a fazer a música. Eu não sabia que ela se chamaria “Pete Davidson”. Mas eu disse para ela: “Estou feliz por você estar feliz”. Quero ver todo mundo feliz. Se Pete a deixa assim, então também fico feliz.

Então o título surgiu depois que vocês já tinham terminado a música?

Sim. Na verdade, eu acho que ela já tinha o título em mente antes de fazermos a música.

Isso significa que dava para perceber pelo jeito que ela cantou? Como foi isso?

Ela estava tão feliz e eu sabia sobre o que a música falava. Sabia que era sobre ele. Não sabia que o título seria esse, mas é incrível.

Goodnight n Go” tem samples de Imogen Heap.

Sim, é engraçado porque há muito tempo nós conversamos sobre Imogen Heap, que é uma das minhas artistas favoritas, e ela disse que a amavatambém. Ela disse: “Eu realmente amo essa música, gostaria de fazer algo com ela”. Me reuni com minha equipe. Produzimos a música, ela e a Victoria escreveram o resto da letra. É uma das minhas produções favoritas.

Por quê?

Eu amo a dinâmica da música. Você tem uma quebra pop, mas tem um toque urbano. Foi divertido de fazer.

Vocês pediram permissão para regravar o trabalho de Imogen Heap?

Imogen é uma grande amiga de Ariana, então tenho certeza de que falaram sobre isso. Não a conheço, mas mal posso esperar para encontrá-la em breve.

Better Off” foi produzida por várias pessoas. Como aconteceu?

Ariana tinha feito uma música com Hit-Boy há um tempo. E então ela disse: “Ei, Tommy, adoro a vibe dessa música e quero que ela fique pronta. Você pode ouvir?”. Fizemos algumas mudanças na produção. Minimizamos tudo. Acho que soa muito melhor minimalista, focando na voz dela. Porque as pessoas escutam para ouvir o artista, não para ouvir as batidas.

O discurso da crítica e do público é de que esse álbum foi um passo experimental para Ariana. Em que posição você acha que o disco a coloca nesse momento da carreira?

Acho que a coloca em um lugar incrível porque, para mim, cada álbum deve ser diferente. Sinto que você tem que experimentar. Isso é o que os grandes artistas fizeram. Nem todos os álbuns de Michael Jackson eram Thriller. Há partes diferentes da sua vida e situações diferentes que você vive. Sinto que ela é muito transparente na maneira como sente as coisas. Ela é assim a cada álbum.

Em Sweetener , não há canções super pop como nos discos anteriores de Ariana. É como se ela diminuísse o ritmo e o volume. Considero isso uma grande mudança para alguém com tanta consistência.

Sim, concordo. Mas, ao mesmo tempo, é a forma como ela se sente neste momento, talvez é a forma como ela se sente para este disco. Não acho que ela vá se afastar das faixas mais pop, mas, desta vez ela quis dizer: “Ei, eu quero fazer do meu jeito. Quero arregaçar as mangas e mergulhar naquilo que eu quero fazer”.