NOTÍCIAS

Relembre as músicas-tema da Copa do Mundo

Para celebrar o início de mais um Mundial, recorde as faixas que embalaram os campeonatos desde 1962

por Rebecca Silva em 14/06/2018

O futebol e a música sempre foram amigos, daqueles bem próximos. As provas são as músicas-tema dos Mundiais ou aquelas faixas que, espontaneamente, tornam-se “hinos” das seleções, levando os jogadores a dançar em campo. A música move esse esporte.

Para celebrar o início de mais uma Copa do Mundo nesta quinta-feira (14/06), a Billboard Brasil preparou uma lista com todas as músicas-tema dos mundiais, desde 1962, quando foi realizado no Chile. Nessa época, a FIFA nem investia nesse aspecto e a musa Shakira estava longe de nascer, mas o futebol e a música já andavam lado a lado.

1962 – Chile: Primeiro ano em que a Copa teve uma música-tema, época em que a FIFA ainda não se importava com o assunto. Na onda do rock – mesma época dos Beatles, é bom lembrar – a banda chilena Los Ramblers resolveu criar uma música para celebrar a realização do Mundial. A faixa vendeu 80 mil cópias no ano do lançamento.

1966 – Inglaterra: O país era referência de exportação cultural por causa da revolução “Swinging Sixties”, promovida pelos jovens no Reino Unido. A ênfase era a modernidade, impactando a arte, a música e a moda. Entre os elementos chave estavam os Beatles, a minissaia, a supermodelo Twiggy e a cultura mod. Era o lugar certo para receber o Mundial. O cantor e compositor Lonnie Donegan, um dos grandes nomes do skiffle – ritmo britânico, ancestral do rock – foi o responsável pela música-tema e o primeiro a compor a faixa homenageando a mascote da Copa. 

1970 – México: A FIFA ainda não tinha embarcado no bonde da música oficial, mas, nesse ano, o violonista brasileiro Roberto do Nascimento, residente no país-sede do Mundial, compôs “Fútbol México 70”, eleita música-tema daquela Copa. A dupla mexicana Los Hermanos Zavala ficou responsável pelos vocais. A música parece um jingle de comercial.

1974 – Alemanha: Duas músicas foram escolhidas. A primeira, regida pela orquestra do maestro Werner Drexler, chamava-se “World Cup Fanfare”. A outra, cantada pelos 22 jogadores da Alemanha Ocidental, foi “Fussball Ist Unser Leben”. Os jogadores foram responsáveis pela vitória do Mundial.

1978 – Argentina: Já ouviu falar em Ennio Morricone? O italiano é um dos grandes compositores de trilhas sonoras para o cinema, com trabalhos em filmes como Era Uma Vez no OesteOs Bons, Os Maus e os FeiosCinema Paradiso, Os Intocáveis e Os Oito Odiados, pelo qual ganhou o Oscar em 2016. Lá atrás, em 1978, ele compôs e regeu “El Mundial”, marcha instrumental que não fez muito sucesso pelo mundo, mas foi a primeira chancelada pela FIFA como “música oficial da Copa”. Até hoje, é relembrada na Argentina, pois naquele ano a seleção do país-sede ganhou o seu primeiro título mundial.

1982 – Espanha: Plácido Domingo foi o primeiro a dar um tom de importância e pompa para as músicas oficiais da Copa. Ele foi escolhido para ser a voz de “Mundial ‘82”.

1986 – México: Se em 1970 a música-tema da Copa do México parecia um jingle publicitário, mas não foi oficializada pela FIFA, o país teve uma segunda chance no Mundial de 1986. A faixa em inglês “A Special Kind Of Hero” foi a escolhida, interpretada por Stephanie Lawrence. 

1990 -  Itália:  A Copa do Mundo teve o primeiro exemplo de canção oficial que ultrapassou as barreiras do esporte e alcançou o sucesso popular na Europa. Para isso, a FIFA contou com um grande nome para cuidar da faixa. O reconhecido produtor Giorgio Moroder, ícone da dance music, compôs a melodia e duas letras. Uma versão, mundial, em inglês: “To Be Number One”, interpretada pelo Giorgio Moroder Project. A outra, em italiano, “Un’estate Italiana”, foi cantada por dois dos nomes mais populares da música italiana na época: Edoardo Bennato e Gianna Nannini.

1994 – Estados Unidos: Tentando seguir a receita e emplacar uma boa faixa como tema oficial do Mundial, os Estados Unidos investiram em uma canção com pegada religiosa, “Gloryland”. O grupo gospel Sounds of Blackness foi o responsável pelo coro da música-tema, interpretada por Daryl Hall, conhecido por alguns sucessos radiofônicos da década de 1980.

1998 – França: Ricky Martin foi o responsável pelo primeiro grande hit mundial vindo de uma música-tema da Copa. A FIFA procurou um nome que estivesse estourado nos rankings e encontrou o porto-riquenho em seu auge. “La Copa de la Vida” foi composta por Luis Gómez Escobar, Desmond Child e Robi Draco Rosa, antigo colega de Martin nos Menudos. A versão em inglês também foi gravada. Esta foi a primeira música do cantor a entrar no Hot 100. 

2002 – Coreia do Sul e Japão: Depois do sucesso estrondoso de “La Copa de la Vida”, a FIFA decidiu investir cada vez mais na música oficial do Mundial. Na edição seguinte, a norte-americana Anastasia foi a escolhida para interpretar a faixa “Boom” e Glen Ballard, produtor do disco de sucesso Jagged Little Pill, de Alanis Morisette, foi o responsável pela produção. Não deu certo. A música só funcionou na Europa e mal é lembrada.

2006 – Alemanha: A partir daí, a FIFA começou a fazer distinção entre a “música oficial” e o “hino oficial”. Em 2006, as duas foram apresentadas na cerimônia de abertura. A “música oficial” foi uma parceria entre o quarteto vocal Il Divo e a cantora Toni Braxton, “The Time Of Our Lives”, e teve relativo sucesso na Europa. O “hino oficial”, a parceria entre o alemão Herbert Grönemeyer com o duo de Mali Amadou & Mariam “Zeit, Dass Sich Was Dreht (Celebrate The Day)”, fazia parte das vinhetas que abriam as transmissões de cada jogo e, por isso, foi mais ouvido pelo público.

2010 – África do Sul: A sorte grande da FIFA nos últimos campeonatos mundiais. Não com o hino oficial “Sign Of a Victory”, parceria entre R. Kelly e o grupo gospel Soweto Spiritual Singers, mas com o hit mundial “Waka Waka (This Time For Africa)”, cantada por Shakira em parceria com a banda sul-africana Freshlyground. A música fez tanto sucesso que rompeu todas as barreiras do campeonato e, até hoje, o público pede para que a música-tema seja interpretada pela colombiana.

2014 – Brasil: Depois de “Waka Waka”, o patamar para as músicas-tema estava maior do que nunca. A FIFA tentou apostar na mesma fórmula: uma parceria entre um grande nome internacional e um nome importante do cenário musical do país-sede. Os escolhidos foram Pitbull, Jennifer Lopez e a brasileira Claudia Leitte. A canção “We Are One (Ole Ole)” foi aprovada na Europa - chegando ao 1º lugar dos rankings na Bélgica, Hungria e Suécia -, e teve sucesso moderado no Brasil. 

2018 – Rússia: Depois de muita especulação sobre os possíveis intérpretes da música oficial do Mundial deste ano, o Comitê Organizador revelou que Nicky Jam, Will Smith e Era Istrefi são os responsáveis por “Live It Up”, produzida por Diplo. O clipe conta com a participação de Ronaldinho Gaúcho. A faixa não fez tanto barulho quando foi lançada, mas ainda pode ganhar força com o início do Mundial.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
4
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
5
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Relembre as músicas-tema da Copa do Mundo

Para celebrar o início de mais um Mundial, recorde as faixas que embalaram os campeonatos desde 1962

por Rebecca Silva em 14/06/2018

O futebol e a música sempre foram amigos, daqueles bem próximos. As provas são as músicas-tema dos Mundiais ou aquelas faixas que, espontaneamente, tornam-se “hinos” das seleções, levando os jogadores a dançar em campo. A música move esse esporte.

Para celebrar o início de mais uma Copa do Mundo nesta quinta-feira (14/06), a Billboard Brasil preparou uma lista com todas as músicas-tema dos mundiais, desde 1962, quando foi realizado no Chile. Nessa época, a FIFA nem investia nesse aspecto e a musa Shakira estava longe de nascer, mas o futebol e a música já andavam lado a lado.

1962 – Chile: Primeiro ano em que a Copa teve uma música-tema, época em que a FIFA ainda não se importava com o assunto. Na onda do rock – mesma época dos Beatles, é bom lembrar – a banda chilena Los Ramblers resolveu criar uma música para celebrar a realização do Mundial. A faixa vendeu 80 mil cópias no ano do lançamento.

1966 – Inglaterra: O país era referência de exportação cultural por causa da revolução “Swinging Sixties”, promovida pelos jovens no Reino Unido. A ênfase era a modernidade, impactando a arte, a música e a moda. Entre os elementos chave estavam os Beatles, a minissaia, a supermodelo Twiggy e a cultura mod. Era o lugar certo para receber o Mundial. O cantor e compositor Lonnie Donegan, um dos grandes nomes do skiffle – ritmo britânico, ancestral do rock – foi o responsável pela música-tema e o primeiro a compor a faixa homenageando a mascote da Copa. 

1970 – México: A FIFA ainda não tinha embarcado no bonde da música oficial, mas, nesse ano, o violonista brasileiro Roberto do Nascimento, residente no país-sede do Mundial, compôs “Fútbol México 70”, eleita música-tema daquela Copa. A dupla mexicana Los Hermanos Zavala ficou responsável pelos vocais. A música parece um jingle de comercial.

1974 – Alemanha: Duas músicas foram escolhidas. A primeira, regida pela orquestra do maestro Werner Drexler, chamava-se “World Cup Fanfare”. A outra, cantada pelos 22 jogadores da Alemanha Ocidental, foi “Fussball Ist Unser Leben”. Os jogadores foram responsáveis pela vitória do Mundial.

1978 – Argentina: Já ouviu falar em Ennio Morricone? O italiano é um dos grandes compositores de trilhas sonoras para o cinema, com trabalhos em filmes como Era Uma Vez no OesteOs Bons, Os Maus e os FeiosCinema Paradiso, Os Intocáveis e Os Oito Odiados, pelo qual ganhou o Oscar em 2016. Lá atrás, em 1978, ele compôs e regeu “El Mundial”, marcha instrumental que não fez muito sucesso pelo mundo, mas foi a primeira chancelada pela FIFA como “música oficial da Copa”. Até hoje, é relembrada na Argentina, pois naquele ano a seleção do país-sede ganhou o seu primeiro título mundial.

1982 – Espanha: Plácido Domingo foi o primeiro a dar um tom de importância e pompa para as músicas oficiais da Copa. Ele foi escolhido para ser a voz de “Mundial ‘82”.

1986 – México: Se em 1970 a música-tema da Copa do México parecia um jingle publicitário, mas não foi oficializada pela FIFA, o país teve uma segunda chance no Mundial de 1986. A faixa em inglês “A Special Kind Of Hero” foi a escolhida, interpretada por Stephanie Lawrence. 

1990 -  Itália:  A Copa do Mundo teve o primeiro exemplo de canção oficial que ultrapassou as barreiras do esporte e alcançou o sucesso popular na Europa. Para isso, a FIFA contou com um grande nome para cuidar da faixa. O reconhecido produtor Giorgio Moroder, ícone da dance music, compôs a melodia e duas letras. Uma versão, mundial, em inglês: “To Be Number One”, interpretada pelo Giorgio Moroder Project. A outra, em italiano, “Un’estate Italiana”, foi cantada por dois dos nomes mais populares da música italiana na época: Edoardo Bennato e Gianna Nannini.

1994 – Estados Unidos: Tentando seguir a receita e emplacar uma boa faixa como tema oficial do Mundial, os Estados Unidos investiram em uma canção com pegada religiosa, “Gloryland”. O grupo gospel Sounds of Blackness foi o responsável pelo coro da música-tema, interpretada por Daryl Hall, conhecido por alguns sucessos radiofônicos da década de 1980.

1998 – França: Ricky Martin foi o responsável pelo primeiro grande hit mundial vindo de uma música-tema da Copa. A FIFA procurou um nome que estivesse estourado nos rankings e encontrou o porto-riquenho em seu auge. “La Copa de la Vida” foi composta por Luis Gómez Escobar, Desmond Child e Robi Draco Rosa, antigo colega de Martin nos Menudos. A versão em inglês também foi gravada. Esta foi a primeira música do cantor a entrar no Hot 100. 

2002 – Coreia do Sul e Japão: Depois do sucesso estrondoso de “La Copa de la Vida”, a FIFA decidiu investir cada vez mais na música oficial do Mundial. Na edição seguinte, a norte-americana Anastasia foi a escolhida para interpretar a faixa “Boom” e Glen Ballard, produtor do disco de sucesso Jagged Little Pill, de Alanis Morisette, foi o responsável pela produção. Não deu certo. A música só funcionou na Europa e mal é lembrada.

2006 – Alemanha: A partir daí, a FIFA começou a fazer distinção entre a “música oficial” e o “hino oficial”. Em 2006, as duas foram apresentadas na cerimônia de abertura. A “música oficial” foi uma parceria entre o quarteto vocal Il Divo e a cantora Toni Braxton, “The Time Of Our Lives”, e teve relativo sucesso na Europa. O “hino oficial”, a parceria entre o alemão Herbert Grönemeyer com o duo de Mali Amadou & Mariam “Zeit, Dass Sich Was Dreht (Celebrate The Day)”, fazia parte das vinhetas que abriam as transmissões de cada jogo e, por isso, foi mais ouvido pelo público.

2010 – África do Sul: A sorte grande da FIFA nos últimos campeonatos mundiais. Não com o hino oficial “Sign Of a Victory”, parceria entre R. Kelly e o grupo gospel Soweto Spiritual Singers, mas com o hit mundial “Waka Waka (This Time For Africa)”, cantada por Shakira em parceria com a banda sul-africana Freshlyground. A música fez tanto sucesso que rompeu todas as barreiras do campeonato e, até hoje, o público pede para que a música-tema seja interpretada pela colombiana.

2014 – Brasil: Depois de “Waka Waka”, o patamar para as músicas-tema estava maior do que nunca. A FIFA tentou apostar na mesma fórmula: uma parceria entre um grande nome internacional e um nome importante do cenário musical do país-sede. Os escolhidos foram Pitbull, Jennifer Lopez e a brasileira Claudia Leitte. A canção “We Are One (Ole Ole)” foi aprovada na Europa - chegando ao 1º lugar dos rankings na Bélgica, Hungria e Suécia -, e teve sucesso moderado no Brasil. 

2018 – Rússia: Depois de muita especulação sobre os possíveis intérpretes da música oficial do Mundial deste ano, o Comitê Organizador revelou que Nicky Jam, Will Smith e Era Istrefi são os responsáveis por “Live It Up”, produzida por Diplo. O clipe conta com a participação de Ronaldinho Gaúcho. A faixa não fez tanto barulho quando foi lançada, mas ainda pode ganhar força com o início do Mundial.